terça-feira, 1 de Março de 2011

Não Deixe que a Pobreza Se Transforme Em Paisagem

A pobreza pode ser entendida em vários sentidos, principalmente:
  • Carência material; tipicamente envolvendo as necessidades da vida cotidiana como alimentação, vestuário, alojamento e cuidados de saúde. Pobreza neste sentido pode ser entendida como a carência de bens e serviços essenciais.
  • Falta de recursos económicos; nomeadamente a carência de rendimento ou riqueza (não necessariamente apenas em termos monetários). As medições do nível económico são baseadas em níveis de suficiência de recursos ou em "rendimento relativo". A União Europeia, nomeadamente, identifica a pobreza em termos de "distância económica" relativamente a 60% do rendimento mediano da sociedade.
  • Carência Social; como a exclusão social, a dependência e a incapacidade de participar na sociedade. Isto inclui a educação e a informação. As relações sociais são elementos chave para compreender a pobreza pelas organizações internacionais, as quais consideram o problema da pobreza para lá da economia.
  • Carência energética para mudar o que não pode ser mudado, a impossível esta dentro de vossa mente, a superação dos paradigmas faz a ponte de um estado – baixo em estado-nação. Falta de auto-estima, baixa espiritualidade.
Causas da pobreza
A pobreza não resulta de uma única causa mas de um conjunto de factores:
  • Factores económicos: sistema fiscal inadequado, representando um peso excessivo sobre a economia ou sendo socialmente injusto; a própria pobreza, que prejudica o investimento e o desenvolvimento, economia dependente de um único produto.
  • Factores socioculturais: reduzida instrução, discriminação social relativa ao género ou à raça, valores predominantes na sociedade, exclusão social, crescimento muito rápido da população.
  • Factores naturais: desastres naturais, climas ou relevos extremos, doenças.
  • Factores históricos: colonialismo, passado de autoritarismo político.

Consequências da Pobreza

Muitas das consequências da pobreza são também causas da mesma criando o ciclo da pobreza. Algumas delas são:
  • Fome.
  • Baixa esperança de vida.
  • Doenças.
  • Falta de oportunidades de emprego.
  • Carência de água potável e de saneamento.
  • Maiores riscos de instabilidade política e violência.
  • Emigração.
  • Existência de discriminação social contra grupos vulneráveis.
  • Existência de pessoas sem-abrigo.
  • Depressão.


Medidas para melhorar o ambiente social e a situação dos pobres

  • Habitação económica e regeneração urbana.
  • Educação acessível.
  • Cuidados de saúde acessíveis.
  • Ajuda para encontrar emprego.
  • Subsidiar o emprego para grupos que normalmente tenham dificuldade em consegui-lo.
  • Encorajar a participação política e a colaboração comunitária.
  • Trabalho social e voluntário.

Os objectivos de desenvolvimento do milénio

A diminuição da pobreza extrema e da fome são um objectivo de desenvolvimento do milénio. Além de abordagens mais vastas, o Relatório Sachs (do Projecto do Milénio da ONU) propõe uma série de intervenções de ganho rápido, identificadas por especialistas em desenvolvimento, que custam relativamente pouco mas que têm um grande impacto na redução da pobreza. São elas:
  • Eliminar as propinas escolares.
  • Fornecer fertilizantes a agricultores pobres.
  • Fornecer refeições escolares gratuitas.
  • Promover a amamentação das crianças.
  • Desparasitar crianças.
  • Treinar técnicos locais de saúde pública.
  • Fornecer redes mosquiteiras.
  • Eliminar taxas de cuidados de saúde nos países em desenvolvimento.
  • Acesso a informação sobre saúde sexual e reprodutiva.
  • Acesso a medicamentos para a SIDA, a tuberculose, e a malária.
  • Investir nos bairros-de-lata e disponibilizar terrenos para habitação pública.
  • Acesso a água potável, saneamento básico e electricidade.
  • Legislação sobre os direitos das mulheres, incluindo o direito à propriedade.
  • Acção contra a violência doméstica.
  • Enviar conselheiros científicos aos governos.

Sem comentários:

Enviar um comentário